Mariana Palma cria espaços pictóricos únicos, construídos pela justaposição de elementos de famílias distantes. Nas grandes telas de cores saturadas, azulejos convivem com folhagens, ralos com anêmonas, cortinas de teatro com flores, tecidos estampados, drapeados e desfiados. Nas aquarelas e fotografias, elementos naturais e artificiais geram híbridos improváveis.

O resultado são composições inesperadamente harmônicas e enigmáticas que, ao causar certo estranhamento, convidam o espectador a tomar tempo para observação. A contemplação revela indícios genéticos. O grandeur, a dramaticidade, a exuberância emocional, a vitalidade, a construção do movimento, o uso de texturas contrastantes e materiais luxuosos revelam o dialogo com a pintura barroca dos século 16 e 17, evocando reflexões sobre a sensualidade, a efemeridade da beleza, o bombardeio de imagens da atualidade. O uso de cores puras remete aos pintores flamengos, enquanto os sutis efeitos perspécticos sugerem o domínio da lição renascentista (e sua subversão).

A artista parte dos pressupostos da tradição pictórica para abordar suas inquietações. As referências filtram o repertório emocional e geram um trabalho em que o aparente trasbordamento de elementos segue, no fundo, uma organização precisa.

Formada em Artes Plásticas pela Fundação Armando Alvares Penteado - FAAP, tem participado de exposições individuais e coletivas, destacando-se: 2017 A Luz que Vela o Corpo é a Mesma que Revela a Tela, Caixa Cultural, Rio de Janeiro; 2016 Máquina do Mundo - Obras da Coleção Fabio Szwarcwald, Z42 Arte, Rio de Janeiro; 2015 Saideira, Casa Triângulo, São Paulo; Piece by Piece - Building a Collection, Kemper Museum of Contemporary Art, Kansas, USA; 2014 Casa Triângulo no Pivô, Pivô, São Paulo; 2012 Deságue, Casa Triângulo, São Paulo; This is Brazil! 1990-2012, Palacio de Exposiciones y Congresos, A Coruña, Espanha; 2011 Os Primeiros Dez Anos, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo, SP; Realidades- Desenho Contemporâneo Brasileiro, SESC Pinheiros, São Paulo; 2009 Investigações Pictóricas, MAC Niterói, Rio de Janeiro; Nova Arte Nova, CCBB, Rio de Janeiro; Poéticas da Natureza, MAC, São Paulo; 2007 Mono#Cromáticos – Vertentes na Arte Contemporânea Brasileira, Galeria Mario Sequeira, Braga, Portugal.

Bio